sexta-feira, 4 de fevereiro de 2011

MAQUINA DE ESCREVER (Giuseppe Ghiaroni)


"MAQUINA DE ESCREVER"

Mãe, se eu morrer de um repentino mal
Vende meus bens a bem dos meus credores:
A fantasia de festivas cores
Que usei no derradeiro Carnaval.

Vende também, meus óculos antigos
Que me davam uns ares inocentes.
Já não precisarei de duas lentes
Para enxergar os corações amigos.

Vende, além das gravatas, do chapéu,
Meus sapatos rangentes.  Sem ruido
É mais provável que eu alcance o Céu
E logre penetrar despercebido.

Vende meu dente de ouro. O Paraizo
Requer apenas a expressão do olhar.
Já não precisarei do meu sorriso
Para um outro sorriso me enganar.

Pode vender meu próprio leito e roupa
Para pagar aqueles a quem devo.
Sim, vende tudo minha mãe, mas poupa
Esta caduca máquina em que escrevo.

Quantas vezes esta máquina afugenta
Meus fantasmas da dúvida e do mal,
Ela que é minha rude ferramenta,
O meu doce instrumento musical.

Deixe-a morrer também quando eu morrer;
Deixe-a calar numa quietude extrema,
A espera do meu último poema,
Que as palavras não dão para fazer.

Conserva-a, minha mãe, ao velho lar.
Conservando os meus intimos instantes.
E, nas noites de lua, não te espantes
quando as teclas baterem devagar.


"MAQUINA DE ESCREVER"  (trechos do poema de GIUSEPPE GHIARONI, recebido via e-mail de antoniogutierre@uol.com.br)   Poema de altissimo nivel lirico e sensibilidade poética. Publicado como presente a todos os amigos(a) confrades e confreiras e em homenagem aos 80 (oitenta) seguidores deste blog  http://www.lirismoacademico.blogspot.com/  
Voce que nos lê, pode também publicar seu trabalho pessoal, enviando-nos sua colaboração para o e-mail de agmoncarlos@gmail.com     








7 comentários:

  1. Recebido de RUTH DE COLLA ANTUNES - 04 fev. 2011(ruthcolla@ig.com.br) da cidade de RIO CLARO/SP
    "Oi Agmon, muito bonito mesmo. Obrigado. Bjus a voce e a Wanda".

    ResponderExcluir
  2. Recebido de RACHEL DOS SANTOS DIAS - 05/02/11 (rachel.dosantosdias@gmail.com)
    "Que lindo, Agmon! que lindo!" bjus e paz. Rachel

    ResponderExcluir
  3. Recebido de SARAH DE OLIVEIRA PASSARELLA em 06/02/11 (sarahpassarella@gmail.com)
    "Prezado Agmon, que lirismo de poesia, muito diferente daquele de Drumont que mandava jogar aos cães, os inimigos, suas tripas, seu sexo e outras coisas mais. Mas, ele é Carlos Drumont de Andrade.
    E voce como vai de saude, e a inspiração? já iniciaram os encontros poeticos,lógo nos encontraremos. Bom domingo! Sarah

    ResponderExcluir
  4. Recebido de ALDO ALVES RAMALHO - 05/02/11 da cidade de JUNDIAI/SP (aaramalho.54@hotmail.com)
    "Que poema hem Amigo! Emocionante, adorei! Repassei para todos amigos(as) e tb guardei para mim!!! Muito obrigado e um grande abraço Aldo"

    ResponderExcluir
  5. Recebido de MARA BITTENCOURT em 06/02/11 da cidade de MARA ROSA/GO (virginiabittencourt@gmail.com)
    "Oi amigo. Lindo poema de grandisima sensibilidade. Adorei. Tenha um fim de semana abençoado. Saudades. Bjus Mara"

    ResponderExcluir
  6. Adoro este poema e gosto sempre de recita-lo.Há muitos anos conheço esta página literária.
    Achei por acaso este blog, e estou seguindo.
    Beijos

    ResponderExcluir
  7. Parte desse poema foi lindamente musicado pela banda Barão Vermelho. Vale a pena conferir. Um abraço a todos!

    ResponderExcluir